Viver é atravessar o Mar de Dentro. Elke Lubitz

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Quando a beleza se vai...

Quando a beleza se vai.

podemos andar pelas ruas sem aborrecimentos. não somos seguidas.

não nos proferem palavras indesejáveis. se nos chamam de ( coroa) etc, temos a vantagem de ensurdecer com o tempo.

se nos tratam bem é sem interesse. é muita coisa boa ao envelhecer. podemos rir sem os dentes e enxergar um pouco com óculos fundo de garrafa. temos facilidade com a empatia e a inveja vai sendo banida pois não mais nos consideram ameaçadoras. é libertadora a sensação de perder a juventude. 

é assustadora também posto que não somos de ferro e o aroma da finitude é mais forte. e, quando tudo ficar confuso há sempre um poema!!!!

(elke lubitz)  fotografia de Izabel Demarchi