Viver é atravessar o Mar de Dentro. Elke Lubitz

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Sono

águas claras

 véu estelar

 alguns gorjeios


 das brumas um ósculo

 Santo

 lambe os pés


 deito em paz,

 luar, maré....


- Há monstros que dormem no azul.

(eell)






Asas

É no impulso da asa que o pássaro desenha as manhãs.

(eell)   arte: luiza maciel nogueira










Pausas

Pausas


 não há bem

 que console

 nem mal

 que desole


 há pequenas mortes

 diárias

 um sopro , uma


 - pausa


 sem prefácio ou

 qualquer 

 causa...


 isso cansa.


 Arte: Emily mc Phie


sábado, 22 de fevereiro de 2014

Afrescos


afrescos


 no avesso da alma

 dorme rascunho de sonho

 acorda , alma dobrada


 vou de cara

 lavada


 passar sonhos á limpo

 e tu

 estendes a

 mão


 -

 rabiscada...


 Eell.        arte loretta lux







terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Sol (aerado)

há dias dourados

 feito saudade fincada

 no sol


 há dias morosos

 feito saudade pairada

 no ar


 há dias, não sou

 não sol, 

 não ar


 há dias.....

(ell)



Estalos

Um canto de estrelas estala no véu da boca.

(ell)


(tin yueng )




Retalhos

Ri das dores, inflado peito

 gargalha, debocha

 estraçalha


 Folhas, penas,

 coisas pequenas


 Ri deste azul opaco

 íris sem rosto,

 boneca de pano

 ondulada ironia


 esboça e destroça

 um coração de engano

(elke)


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O Apanhador de Ventos

Um olhar de exílio passou por mim;


 tive sorte,


 a distância muda

 como muda um rumo.


 Fico muda,

 feito apanhador de vento

 fotografo o vazio


- um ninho é tecido de esperança , é este fio que o mantém.



(eell)    arte   ed abjinov




domingo, 16 de fevereiro de 2014

Chuva

Olhos chovem gotas de verão, recriam poças , arco-íris no meu chão.

(eell)



quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Do verbo ao céu

uma palavra usa reformas da\ nova \ ortografia


 pasmei ao ver menino


 bebendo ares de dicionário

 e partindo em nuvens


 rumo ao verbo encantado

 pedaço\ aberto\ do céu


 - Liberdades     !!!!

(eell)

Lume

Palavra:

Lâmina que redime

Lume que corta....


(eell)



Linear

respiro águas claras, campos vastos


 o fio de chuva a passar da linha


 horizonte breve, despontar da aurora


 Deixo estrelas neste rastro móvel;


 azáfamas perdidas, algaravias de aves;


 respiro as asas desta brisa leve


 Passeio dias em um cais perdido


 tombo ao vento , canto oco....


 Vida breve!

(elke)


Noturno


Sussurro da noite

é vento baixinho

Costurando ninho.


(eell)  arte: katerina plotnikova


tratado dos Pássaros ( I )

Pássaro: Meu coração está vazio, perdi meu canto.

 Sábio: Encha de vento o que sobrar do seu peito.



(elke)   arte: Luiza Maciel  Nogueira

Pirilampos

Preparei vaga-lume 

 cansado,

 lanternas do meu 

 pensar,

 vago tempo

 lume vaga;

 Imensidão , caminho

 centelha de mar,

 abrigo do meu

 pesar

 (ell )


Dos astros


Anjo tutelar

 dos lustres

 no céu colados

 Olhos do infinito

 espreitam

 Novos dias

 de espera

 Urge divagar

 nos laços

 do eterno

 Sereno verão

 que se foi

 de teus olhos

 Estes grandes lagos !

(elke lubitz)





Intertexto


 Espelho de ti

 insígnia

 palavra,


 Ser em mim...



 (eell)

 lendo Carmen Silvia Presstto

arte: Kassandra


Feridas

Cada palavra a morte

 era pouco, breve

 inutilidade de um

 poema, 

 nota de cem, nota de 

 quem

 Um riso na face 

 é sempre um "Bem"

 me oculta 

 o lacre 

 das veias 

 abertas,

 a hora é certa 

 Somos todos assim

 as criaturas incertas

 sangrando sempre:

 Poesias Abertas...



(eell)   arte: kassandra



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Alma

Decidi
  ser
   o
 que

* Soul *

(eell)


Lata


a lata do poeta

 guarda: 


 pó de lua, ciscos, pé de vento

 acentos

 Convés, viés, laço e nós

 de fita


 A lata do poeta

 transporta:

 Um dia em cada

 boca da noite.

(eell)  

Companhia




Nos dias 

 mãos em grafites

 sozinho-me


 Hóstia em papel

 letras bentas,

 sozinho-me


 ante o paraíso

 ventos em folhas

 sozinho-me


 Atrás do conto do dia;

 Pierrault

 ou a fábula

 da noite,


 La Fontaigne

 o sonho

 acabou;


 Sozinho-me...


 Arte: Stephanie jager  Texto: Elke Lubitz

 

Lua Estelar


  Presa das noites 

 bebes as sobras do dia

 sôfrego suspiro 

 de estrela

 cadente,

 feixe

 ou facho

 luz sobre o mar...

 (elke)


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Cetim

Um pássaro me flutua com seus andrajos de cetim, espia no bico a desconfiança dos homens,

 traça a seta do voo antes do primeiro gorjeio.

 Sabe que no fundo do rio nasce a esperança dos poetas e das crianças.

 Um encantamento disforme faz a grafia da asa e sobe até o algodão do horizonte...

(eell)     a arte é de Daria Petrilli



Ontem

Talvez desista logo, ontem. Sem razão com tudo pronto.

 Desisto ontem pra que nunca chegue.

 Desisto ontem, pra não esperar. Tropeço nos dias, revolvo a terra do Nunca, o Sempre não basta. 

 Desisto. A terra é fofa, é fértil o orvalho que a lua manda. Sangue nos poros, suor nas dobras de todos os tempos que eu desisti.

 Desisto ontem, pra que nunca chegue !!!


 - Covardia!

(eell)



Sonho (sono) Breve


Não se deixe

 levar 


 não se leve

 a sério

 não

 leve


 a vida é

 este leve

 sonho

 breve


(eell)


Verbo

Um momento nu

 de pés amarrados

 é meu canto

 solo,


 amalgamei aos trinados


 um papel timbrado; 


 passaporte vil

 campo minado;


 sobrevive só

 um verbo


 nunca conjugado...

(eell)


Insônia lunar

um manto de estrelas

 cobre a lua

 insone 

 no leito do rio...

(eell)


  

Para Manoel de Barros


Para Manoel de Barros:

Tuas palavras me Uni - Versam .


arte : jan mc donald    


Intertela


No tecido das tardes

 colibri um céu

 de tintas anis


 in

 ter

 tela 


 solar, em dias 

 sem chão.


(eell) arte: pascal roy

Haicai Imperfeito


sol na vidraça

 descortina o mundo

 janela de luz

(ell)   arte: Dragan Todorovic



DOs males da Voz


percorri com as mãos
velocidade da luz

flama
incinera...

a Voz que me arde.

(eell) 

Matinais

bem te vi

 pássaro azul

 abriste a voz da manhã

 no ar crespo do dia


 minhas mãos crescem 

 roseiras de mim


 meu caule, meus dias

 minha fuga,

 Poesia...

(eell)

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Viés

um silêncio

 goteja

 no

 sal da

 boca

(ell)

Em ponto cheio

Eremita de mim

Chamo os pássaros

No bordado

das manhãs....

(ell)  arte loretta lux




Arco


Quando o arco

 faz sombra

 à íris do

 sol,

 reluz horizonte

 de nuvem,

 pensamentos de Deus...

(elke) arte Dieter bruhns

Vertente

Sentimento aerado

 um presságio

 a dor do mundo


 fendas,


 o doce estragado

 na boca,

 masco a saliva

 engulo sangue


 a dor da voz não verte

Mel de alegria...

(elke)

Colóquio

Converso com meus

 Botões,


 - eles tem belos poemas;


 versejou minha blusa...

(ell)   imagem cedida por Mara Nibra   

Onírico


da essência crua


 Nada 

 é

 invisível 

 á 

 Sonho 

 nu 


 (elke)  arte: Marcy Cichinno

Estiagem

uma ausência
nua
muda
crua,

Tua...

(ell)

in blue

Todo Ser merece ser inventado de azuis.

(elke)  arte Loretta Lux

Ego

No ego do poeta não há
tanto ar como dizem, não, não.....
No ego do poeta há: Alpiste, ciscos, botões, fios, teias, amoras, pitangas, azuis, chocolates, conchas, nuvens de algodão , doce ou não... Carambolas , graviola, folhas secas, pétalas, perfume barato, loção para o corpo, canções, cirandas, tudos, nadas, ontens, "hojes", sempres, nuncas, auroras e alvoreceres....

No ego do poeta , habita um coração.

(ell)

Abajur

O risco na parede
giz de cor
contaminou um silêncio

Dor

quarto minguante
nua cheia
decrescente
...
semi-lua

abajour, indolor

(eell)   arte: Marta Syrco

Sal

Á noite não é lágrima
é sereno
que chora...

(elke)  arte Nicolas Henry

Do lume ao gume

Do lume ao gume

que me salve
da lâmina deste espelho
o corte do tempo
em deflexão

(eell) arte: loretta lux

Infinito

Eu "pássaro" meus dias obliterando
ventos
nas mãos do céu.

(ell)  arte ting yuen  

Arte

A Literatura é o castiçal da Arte.   (elke)