Viver é atravessar o Mar de Dentro. Elke Lubitz

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Latifúndio

há dias de descalçar os sapatos
da vida
e bater na pedra do tempo
pra jorrar a água
da sede infinita...
da sede infinita

do meu caminhar desatento
do verbo infinito
do verbo infinito
- tive tanta fome e tanto frio
bati nas asas do tempo -
pra jorrar a água
da vida deserta
do meu caminhar sedento.
mastiguei a fome do verbo
a fome do tempo
para
mitigar as dores do chão
latifúndio perene do meu
andar desatento...